Rosana Souza

Rosana Souza
Asas da Liberdade

domingo, 22 de março de 2009



EM TI EXISTO...

Cheguei a ti através do vento,
Dentro de um sonho quase perdido
Ou quem sabe sem sentido,
Querendo renascer das cinzas
Como fênix
Assim ressurjo em ti,
Como musa eterna e sempre viva
Na memória ancestral que carregas
Cavaleiro de todos os tempos
Preso a um passado memorial,
Na eterna busca do Santo Graal
O saber eterno,
Que em ti habita
Dormita comigo nas marolas
Do teu mar
Aonde agora navego,
Espraiando-me em canção
Que num leve sussurro
Sopro ao teu coração,
Através do eco que se escuta na concha
Que rola pela areia na dança das ondas
Da mesma forma em que me sondas,
Nossas lembranças eternizadas
Ofertório de amor eterno...

Rosana Souza.

sexta-feira, 20 de março de 2009



APENAS TE AMAR.

És meu primeiro pensamento
Que chega naturalmente
Como os raios dourados
Que iluminam o dia.
Assim te nomeio: Meu Sol!
Transformo esse sentimento
Em oração matinal
Agradecendo a este amor
Que me eleva.
Plenamente livre.
Sem amarras, sem apegos
Querendo apenas
Que sejas feliz.
Dentro da realidade em que vivemos,
Não pudemos mudar os fatos.
Porém, podemos nos adaptar à eles,
Por isso,
Vivo um dia de cada vez,
Intensamente.
Sendo feliz por existir.
Estando feliz dentro da noite,
Sendo semente em teus versos,
Quando me desenhas
No mais alto do teu céu...

Rosana Souza.

quarta-feira, 18 de março de 2009



DESEJO

Quero meu corpo no teu.
Juntar nossa respiração
Em sincronia
Com as batidas do nosso coração.
Quero teus braços
Me enlaçando gostoso,
Ficar neles sem pressa
Com meio jeito manhoso
Ir me enroscando em ti.
Quero a minha boca na tua
Provar do teu beijo doce
Na minha boca quente,
Refogando todo esse desejo nosso,
Regente da inevitável explosão.
Delírio de prazer.
E assim,
Que o nosso amor se faça.
Sem pressa,
Em pleno estado de graça...

Rosana Souza.

terça-feira, 17 de março de 2009



ALMAS ESPELHADAS

Percorro o universo do teu ser
E no flagelo das ilusões,
Alimento sonhos,
Libertando sentimentos
Deixando-me fluir
Por tuas entranhas
Tingidas na paixão
De nós dois,
Refaço nossos sentidos
Atordoados que estão,
Nessa constante fusão
Na confusão de quem é quem,
Nossa alma em confluência
Amante cumplicidade,
Mantemos nossa razão
Abstração...
Quando voltamos
Para nossa realidade...

Rosana Souza.

domingo, 15 de março de 2009

video


FLORATTA IN ROSE

O meu sonho
Fluidificou o amor
No perfume dos teus versos
Que volatiza emoções
Nos sorrisos impressos
Neste despertar de aromas
Almas e recordações
Num mesmo versejar azul
De mãos dadas caminham
Ainda que um a extremo sul,
Em pensamentos sob as ondas,
Imprimem o mesmo desejo
Na linha do horizonte
Esse amor tão sonhado
Que vive impregnado
Na fragrância
De nós dois
Eternizado...

Rosana Souza.

sexta-feira, 13 de março de 2009



O DONO DA CASA DOS MEUS SONHOS

Estes meus sublimes versos
De plantar e regar sonhos
Sempre em céu azul,
De colher margaridas nos lençóis,
De andar em caracol
Perseguindo sempre a esperança
Porque sempre soube do teu existir
Então fui esparramando meus poemas
Fazendo desta espera
Meu objetivo maior de escrever.
Bordei novos caminhos
Pintei de primavera o inverno
Revirei os sete mares
Naufraguei, fui a deriva
Tomei fôlego, continuei
Cavalguei, caí, tropecei
Sorri, chorei
Mas nunca deixei de sonhar
Porque sei que é lá
Que eu iria te encontrar
Joguei para o universo
Meus rabiscos dispersos
Em espera confesso
Em súplica de ti
Até que numa distração de sonho
Comecei a encontrar alguns pedaços
Que pensei serem meus...
Pois aos meus se ajustavam
E a cada dia um pedaço maior eu encaixava
Fui seguindo os sinais
Nas asas da inspiração
Que me levaram a ti
Meu pote de ouro!
Dono da casa dos meus sonhos...

Rosana Souza.

quinta-feira, 12 de março de 2009



RECUERDOS DE UN AMOR GITANO.

Ah gitano de mis recuerdos,
Quando a noite chega
Chega junto dela a saudade
Trazida no murmúrio do vento
Em forma de triste lamento
Encontrar com a solidão...

Como yo quería mi gitano,
Estar ao teu lado
Nestas noites que já prometem frio,
Ficar com teu corpo vadio
Esparramado junto ao meu.
Mas olho para o lado
E só vejo o vazio...
O meu lado é e será sempre teu.

Ah gitano amado,
Que falta sinto das tuas mãos,
Lembro-me dos labirintos
Que desenhavas em mim
Com a ponta dos teus dedos
Me levavas as alturas
E ao chão ficava
amarrotadas alvuras
Lençóis amassados
Em nosso passado...

En tus ojos el fuego, pasión carmín
A desvendar meus segredos
Incendiando meu corpo ao teu
Onde juntos percorremos ifinitos
Mistérios dos nossos desejos...

Pero tu estás siempre en mi corazón
Nos meus pensamentos
Mas agora,
Eu não sei por ande andas...
Que mundo tu habitas,
As idas e vindas são tantas
E infinitas...
Até a minha bola de cristal me trai
Embaçada comigo na saudade
As cartas não mentem
Mas também não me respondem...

cerro mis ojos en silencio
Para sentir o teu perfume
Um aroma amadeirado
O nde mora meu pecado
Junto dele meu amor
Dentro da noite traiçoeira
No céu, lume estelar
Até isso faz-me lembrar
O encanto e a magia
Que havia no brilho dos teus olhos
Dos teus beijos fandangueiros
A tua pressa atrevida
Em nossa tenda garrida
Dorme tua lembrança
Ao meu lado...

Yo, me quedo siempre aquí solita
Dentro de um azul apenumbrado
Nos versos que entrega-me a lua
Banhando meu corpo
Alma tão tua
Ouço ao longe
No cantinho da memória
Teu violino choroso
Que atravessa meu peito
Nota por nota
Lembrando-me teu chamego manhoso
E então, dentro das minhas recordações
Adormeço em nossa canção,
Eterna e sempre gitana...

Y durmiendo yo me pongo a soñar
E em meus sonhos
Em teus braços fortes e quentes,
Contigo posso estar
Sentindo o teu abraço envolvente
Amando-me apaixonadamente...

En tus manos, soy un pandero
Gemendo... som do amor, do desejo
Tremulando as fitas coloridas da entrega
Que trançaram nossos sentidos
Cruzando nossos destinos
Na fluidez de nossas formas
Quando em ti me faço inteira
Sou gitana, feiticeira
Alma, corpo e coração
E essa é minha bandeira
Manter e zelar por nosso pacto
Nossas juras secretas
Nossos sonhos
De Almas hermanas,
Nuestro eterno amor gitano!

Rosana Souza.

quarta-feira, 11 de março de 2009



SAUDADE EQUILIBRISTA

Ah, saudade
Essa que sinto de ti,
De nós, de tudo,
Nosso mundo...
Dos nossos passeios programados
Ao por do sol iluminando a areia,
Onde nossos pés caminhavam juntos
Passo a passo o mesmo caminho...
Nossos sorrisos de céu
Voavam livres como passarinho...
A nossa frente apenas o infinito.
Nosso amor estendia-se
Pelas madrugadas onde
Teciam-se nossos momentos
azuis neon, esverdeados, lívidos...
Quando em ti eu encostava-me
Numa curva fechada
Sonho aberto
Por viver no sempre eterno
Onde ao teu lado acalentava-me,
Nos teus braços de proteção.
Lá fora o vento, o mar
Sussurravam a volúpia
Da nossa branca canção
Quando teus beijos,
Seda pura me calavam
Ternura no ninho
Hora de amar...
Gemidos que parecem
Se perder no tempo de agora.
Do amor que não teve hora
Nem espaço pra acontecer
Apenas fazia-se por si só
Sempre tão puro e sereno...
Magia, paixão malabarista
Nosso amor equilibrista
A pular ondas estreladas pelo sol
Outrora melodia
Sinos angelicais
Que tocam na lembrança
Viva, presente a toda hora
No compasso do meu coração
Banhado em tom azul
Sideral mistério, imensidão
Que fez brilhar teus verdes
Reluzindo alvas formas,
Flores perfumadas, envolventes
Sementes transparentes,
Evaporando aromas de nós dois
Em asas fluídicas de sentimentos luz
Em ebulição meus versos azuis
registram sempre meu sonho
Vestido de branco
Das estrelas virgens glaciais
Presas por um fio
Caminhando por estreito vão
Essa ponte que ainda nos liga
No vai e vem das emoções,
Nossa cumplicidade
Nesta noite
Querendo alcançar-te
No vazio
Lírica solidão
Nestes versos de saudade...

Rosana Souza.

terça-feira, 10 de março de 2009



POR ONDE ESTOU...

Estou no norte
Estou no sul
No horizonte azul
À minha própria sorte.

Me encontro onde me procuras
Na linha do horizonte,
Escalando com olhares, os verdes montes
E no mais azul das alturas.

Estou no frio e no calor
Nas marolas e ventania
Nas noites de calmaria
Quando em ondas, vibro amor.

Jamais estarei no passado
Ainda que esteja ausente
Estou no teu presente
Com amor, nas linhas rabiscado.

Posso estar sim,
Nos teus contos de fadas
Nos encantamentos e poções preparadas
Nas noites do sem fim.

Não estou presa em armaduras
Não tenho ontem nem amanhã
Somente do hoje vive minh’alma vã
Despida de máscaras e frescuras.

Estou no aqui e no agora
Esperando apenas que teu medo acabe,
Pela porta que não abre,
Estou aqui. Vê se não demora...

Rosana Souza.

segunda-feira, 9 de março de 2009



PARA VERSEJAR MEU AMOR...

Eu queria ter
A inspiração mais pura,
A rima exata,
As palavras mais belas
Em letras de alvura
Que tivesse a candura
De um anjo na lua
E brilhassem as letras
Como estrelas no céu.

Eu queria que meus versos
Soprassem a melodia
Dos deuses
Ao som da lira de Orfeu
Em coro celestial,
Que exalassem perfume
Das rosas azuis.

Eu queria te dar
Os versos perfeitos
Para tirar do peito
E colocar no papel
Com a doçura do mel
Apenas escrevendo
Em linhas de luz
Como uma prece
No silêncio vesperal das seis
Num céu aberto de glória
O que não me sai da memória:
Que eu nunca ti vi,
Mas que eu sempre te amei...

Rosana Souza

sexta-feira, 6 de março de 2009




Te encontrei...

Ah, esse teu céu azul intenso
Entremeado a brumas
Onde nem eu sabia
De tuas buscas
Tão minhas...
Tão tuas...
Essa espera de céu
Feita de sonhos
Nos versos que compomos
Vestidos ora de sol
Ora de lua...
Vestes de procura...
Que mesmo sendo
A noite escura
Não desistimos
Seguimos nas alturas
Dentro do mesmo sonho
E nessa onda de sonhar
Não me dei conta
Que estavas o tempo
Ao meu lado.
Não esperes mais a eternidade
Já amanheceu,
Apenas dá-me a tua mão agora...

Rosana Souza.

quinta-feira, 5 de março de 2009



HIERÓGLIFOS

Em nós dois a oculta e mística florescência
Na perfeita sintonia seguimos a jornada
Em real cumplicidade e transcedência

A essência de nossa alma em evidência
Mostra-nos que a chama não foi apagada
Por todo amor que há em transparência

E nas paredes onde se registraram as cenas

São os mesmo signos que hoje deixo nos poemas...

Rosana Souza.

quarta-feira, 4 de março de 2009



MARCAS DE AMOR


Quando o dia amanhecer,
Quero um sorriso estampado
Como chita colorida,
Se abrindo em saia rodada
Em dia de folguedo.
Quero teu amor sem medo,
No abraço apertado me esquecer
De que nada vou promoter
Além de amar-te em segredo
Pelas madrugadas azuis,
Sob a luz do abajur
O meu rosto iluminado
Olhando o teu já cansado
Dormindo como um menino.
A nossa cama, o nosso ninho,
Aconchegante calor
Sob os lençóis linho
Nas dobras amarrotadas
Ficarão então estampadas
As marcas do nosso amor.

Rosana Souza.